Páginas

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

B, I'm right here for you.


Olá , B.
Quero que saibas que li e se li foi porque não me esqueci de ti , porque não deixei de procurar por algo teu. Que não deixei de querer saber. Este é o segundo texto que escrevo, ou melhor, este em particular vai ser uma carta de resposta. Eu gosto de cartas. Também tenho muita pena que a nossa ausência se tenha tornado total. Mas tenho ainda mais pena que escrevas no passado e talvez isso me faça escrever que “infelizmente” ainda significas muito para mim. Mas já que estamos numa onda de sinceridade, tu também me desiludiste algumas vezes e não foi por isso que te falhei e não entendo por mais que tente, não consigo compreender o porque de te ter desiludido. Primeiro de tudo, nunca te menti. Segundo, nunca contei os teus segredos a ninguém. Terceiro, sempre que precisaste eu estive lá para ti. Sim, eu errei e sempre te pedi desculpa pelos meus erros, porque eu sei admitir quando estou errada. Eu sei , sei que estiveste sempre para mim, que me amparaste mas eu também o fiz, fui eu que te dei todo apoio mesmo quando não concordava com o que estavas prestes a fazer, fui eu quem pediu um dia ao arco-íris o teu maior desejo e pedi com tanta força que ele se realizou dias depois e fui eu que te limpei as lágrimas e te abracei sempre que precisas-te. Sabes, eu não posso fazer mais nada, porque tu dizes que te cansas-te de mim e eu cansei-me de correr atrás de ti. Porque sempre tive tempo para ti, mesmo quando andava cansada e de rastos … tu deixaste de ter tempo para mim, porque passaste a ter apenas e exclusivamente uma prioridade na tua vida e contra isso eu não posso fazer nada, mas se não tens tempo para mim eu não posso ter tempo para ti, porque se não vou acabar por sofrer ainda mais, vou acabar por sair ainda mais magoada com a tua ausência. Não te preocupes, fica descansada que eu também não vou esquecer tudo o que passamos, porque sim, seria impossível. Foi muita coisa e foi também muito tempo, mas foi… e não sei quando voltará a ser. Devias ter em conta o facto de eu te ter deixado entrar na minha vida numa altura em que todas as portas estavam trancadas, eu abri a principal para ti. Mas agora , agora eu não sei se voltaremos a ser as melhores, não sei se voltaremos a confiar uma na outra. Mas espero que estejas certa com as tuas palavras e espero que mais tarde ou mais cedo tudo volte. Porque eu sinto a tua falta. Mas eu mudei e tu também, eu aceitei a tua mudança mas tu não aceitaste a minha. Então se queres que volte, faz-me saber que queres conhecer o meu novo eu. Até lá , sinto a tua falta. S.

5 comentários:

patrícia disse...

como entendo tudo o que dizes aqui! força, se a amizade for forte e verdadeira vai voltar :')

Vanessa ൪ disse...

gostei *

blair disse...

Gostei :)

MARTA PEREZ Ҩ disse...

lindo *

Sara'C disse...

Obrigada princesa, é bom saber. e sabes, tmb podes contar cmg, smp !